terça-feira, 30 de junho de 2009

Pra vocÊ ;*

Minha pequena criança, tão cheia de mimos
Tao cheia de fases...
Indefesa criatura, de frágeis olhos desconfiados
De pele alva... De clara beleza.
Dos sonhos de morte, e negação à vida.
Dos dias tão fartos do vazio que lhe consome
És cheia de vida, óh doce criança.
Necessita de versos e carinho constante,
Mas esquece facilmente o quanto o mundo gira longe do seu próprio mundo.
E mesmo assim, tenta lembrar de como foram completos os dias em que viveu de verdade!
Faz-se escrava dos seus próprios medos
Desafiada por seus segredos, no desafio das suas vontades.
E desafia a verdade, quando muda a história do tempo...
Quando invade a cena do ósculo
Inundando seu peito cálido, com minutos de vida, enfim.
Com quereres impossíveis que transforma em realidade.
Mesmo sabendo que não podem ser verdade.
Basta querer, pequena, indefesa criança.
Diz-me em baixo tom de voz
Quanto queres poder gritar...
Mas contém-se no silêncio do prazer de estar só.
E mantém-se em acomodo, no sossego da solidão
Quando digna-se a ouvir o sofrido coração
Que clama por atenção, que prende-se à escuridão
Fechando-se para o novo
Fugindo da multidão.
Minha pequena... És cheia de vida!
Louva por teus caminhos, busca-os a cada dia.
Saberás enfim o que é realmente viver!

;*

quinta-feira, 25 de junho de 2009

sem nexO, totaL

Não preciso de nexo
Eu quero vida!!
Não quero dinheiro
Quero amar sem medidas.
Quero um futuro brilhante
Cheio de cores e risos
Cheio de flores e certezas de que nada foi em vão.
E quero acordar na madrugada e sair por aí
E te levaria comigo se fosse tão louco quanto eu...
Se fosse tão fácil apenas querer.
E se você tornasse tudo mais fácil
Mesmo assim,
Quero a vida sem nexo, sem medida.. Mas a minha
Tão bem desenhada e querida por mim.

oO'

AspiraçãO

Do ósculo ardente
Da boca sedenta
A ceifa de receios
Um solavanco dos sonhos
O alcançar do vértice estreito
Ainda com passos bem lentos
E com aspirações eternas e companheiras
E compassivas de perdão
Tão completas de ilusão
Verdadeira quimera de incoerências
Discrepância insaciável!
Displiscência inquestionável...
E uma insistência ainda maior
Perdurante e perecível de notável desgaste temporão
E das inquietudes da alma
Resta apenas o bater de um sofrido coração

=)

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Vai passar...

O meu maior vício
A fuga dos meus medos
Um refúgio
Meu maior segredo

Minha calma
Um delírio interminável
De total necessidade
De querer, inexplicável

E na passagem dos dias
Seguem das noites tão frias
A chuva no céu caía
Os corpos em sintonia
E quando você dizia
Que ali era onde queria estar
Dentro dos seus olhos eu via
Que nada deveria mudar.

E eu sei que vai passar
Mas que seja lento e cauteloso
Tanto, como será doloroso
O dia em que irá partir.
E que sei que irei também
Se assim me permitir
E se assim tiver de ser
Porque se permanecer
Faremos dos dias seguintes, os melhores que pode-se ter.


I promet!
=)

terça-feira, 23 de junho de 2009

VertigO

Hoje, eu queria escrever sobre anjos.
Queria tentar entender como as pessoas se encontram e passam a viver, umas pelas outras, em troca de 'proteção'.
E me perco nas buscas de respostas que não sei se encontrarei, de fato, mas que me instigam a pensar mais.
E que me fazem acreditar, sim, que o destino foi planejado para cada um dos que vivem.
E faz com que eu me indague sobre amizade... paixão/tesão... amor, e os mais variados sentimentos...
Hoje, eu voltei ao ontem [louco isso, não?] e entendi que nada pode ser entendido, se não for realmente querido entender. o.O'
Que conversar, às vezes, alivia tanto a alma, que tudo flui melhor.
E que estar 'à vontade' nos faz quebrar 'recordes'.
E nos faz ser o que somos... E querer isso, o que é mais importante.
Mas, e sobre os anjos?!
Nada mais que as pessoas colocadas nos nossos caminhos, para nos ajudar a superar os medos que nos invadem... E somos anjos de alguém também. Todos são.
Foram 'planejadas' nossas missões e nos jogaram pra cá, até que terminemos por ajudar alguém.
Até que mostremos o 'caminho certo', ou que Alguém considere isso.
E isso me parece ser vertiginoso, mais uma vez.. =D
E me parece tão bom ao mesmo tempo... Tão completo de necessidade, e tão complexo de explicações.
Explicações, as mesmas, que não me cabem... Nem à você e nem a quem quer que tente entender esse louco fato de sermos criados para os outros.. Para o mundo...
O que não nos faz ser objeto. O que não me faz ser um brinquedo.
E que não pode-se tomar por dono do que nem é seu, de verdade.
Do que nem tem dono, enfim.
E é ainda mais louco pensar na ideia de como somos colocados uns nas vidas dos outros.
De como os caminhos se cruzam e do desfecho das histórias tão cômicas, que de antemão, nos pareciam trágicas... E parecia não ter fim, o sofrimento.
Do ontem, me restaram apenas mais perguntas... Algumas foram substituídas pelas respostas de outras, claro, mas elas estão sempre ali.
E acho que é, realmente, o que me faz querer viver a cada dia... A busca dessas respostas, que podem ser a 'minha missão'... hsiaushuaihsuiahsaiuhsa
E que devem ser a razão da minha existência.
O que você fará pra ser anjo?!

=P

♫Não pára, não pára, não pára, nããO

Paradigmas tomam conta do teu corpo, assim como o fogo queima cautelosamente...
Com a mesma voracidade que o sorriso se perde dos teus lábios quando veres o medo de perto.
E quando sentes ameaçado por teus próprios caminhos.
Restringe-te a não percorrê-los... Arrisca-te!!!
Tudo deve mesmo ser uma oportunidade ao novo...
E tudo, absolutamente, vai importar quando os 'louros' chegarem.
Vou dar mais um passo enquanto meus caminhos estão abertos.
E quando não estiverem... Eu não pretendo parar!! \o/


=*

segunda-feira, 22 de junho de 2009

moda =X

As modas são ditas, postas à teste..
Seguem os fracos!
Os mesmos fracos tão fortes e seguros de si pra seguirem as 'regras'.
Aqueles inéptos dos apelos naturais, mas que se adaptam aos modelos atuais.
Os mesmos 'idiotas' que seguem alguém, que já seguiu outros e... É sempre assim!
Inerentes ao mesmo fim... Seguidores dum mesmo querer.
Corrompidos pela aparência querida... Buscada... Mantida!
Tão fútil quanto a necessidade de ser.

;P

Risco

Apenas da vontade de escrever
Expondo dor e amor
Sem qualquer segunda intenção. Sem pudor, nem razão.
E sem dever qualquer explicação de tudo o que nos rodeia.
De tudo que nada clareia minha mente nesse exato instante.
E que sei que não vai mudar.
Que nada mais poderá pôr no lugar, a bagunça que tratei de fazer.
E que nada será igual.
E sei que não voltará, e se voltasse, certamente, eu não queria que acontecesse.
Porque tudo deve mesmo valer a pena.
E eu gosto de correr riscos...
Gosto de sentir tremer meu corpo quando vejo aqueles olhos... E a boca tão de perto.
Esse é o sentimento que não trocaria por meia dúzia de dias perdidos..
Nem palavras ditas, que não voltariam...
E nem aqueles rostos simpáticos que já não se vê nas ruas por onde passo
Nos lugares que adentro, sem pedir licença, eu sei... Mas era tudo tão normal.
E se tornou tão banal pra mim... E pra qualquer um que viveu.

:)

MEU ERRO

♫Eu quis dizer, você não quis escutar.
Agora não peça, não me faça promessas...
Eu não quero te ver, nem quero acreditar que vai ser diferente, que tudo mudou.
Você diz não saber o que houve de errado, e o meu erro foi crer, que estar ao seu lado bastaria.
Ah, meu Deus era tudo o que eu queria.
Eu dizia o seu nome, não me abandone jamais.
Mesmo querendo, eu não vou me enganar.
Eu conheço seus passos, eu vejo seus erros.
Não há NADA de novo, ainda somos iguais, então não me chame, não olhe pra trás.
Você diz não saber o que houve de errado, e o meu erro foi crer que estar ao seu lado bastaria...♫

E diz muito... ;)

O tempo...

Distraído, pensando no nada
O tempo decide por nós
Impetuoso, agindo por ele
Absolutamente egoísta.
Inóspito, e tão seguro
Incerto e traiçoeiro, como só ele sabe ser.
E agindo por total consciência, decide o que será daqui pra frente
E não me resta alternativa, nem à você, e nem à ninguém.
E já não sei o porquê de tanto dizer, e querer, e tentar...
Só 'ele' saberá. Indicará cada passo, gesto e desenrolar de situação.
Correto, ou não, será o tempo, o 'senhor da razão'.

;]

sábado, 20 de junho de 2009

Eita vulneraaaaaviii!!

Septos separam
Unem, ao mesmo tempo
Avalanches de sentimentos me perturbam.

Vultos me apavoram
Uivos me perseguem
Longe de estar sã
Nego as aparências
Entro em pesadelos
Roubo cenas
Arranco máscaras
Busco novos personagens
Invado outros caminhos
Liberto minha alma dos seus desatinos
Impetuosamente eu me liberto, presa em ti
Desisto das fugas
Ando sem me mover
Desço do sonhos mais loucos
Esqueço de como é viver

Me perco no palco dos desejos
E volto a me distrair

Causo situações inusitadas
Ajo, deliberadamente
Necessito de mais demonstrações reais
Sofro com tanta oscilação
Ainda assim... AMO!

=S

sexta-feira, 19 de junho de 2009

♪As flores de plástico, não morrem...♫

És pequena, criatura, frágil flor de arlequim
Sussurra versos de lírios, transcende prosa em jasmim
Floresce em cada amanhecer, das rosas do meu jardim
E, suavemente, emana o perfume mais doce...
Me cobre de cravos em beijos roubados
E a essência dos seus lábios, me invade, enfim.
E das flores que me cercam, és a que mais quero cultivar

@-'-{

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Futuro...

Raramente me perdí em vícios
Eu disse raramente!
E das tantas fugas fracassadas, numa delas me encontrei
E de todas as mancadas, nessa mesma acertei
Invadí seu mundo em prosa
Recriei velhos pensamentos
Inventei finais felizes
Mas sempre foi de verdade... Nada era pra sempre, e mesmo assim acreditei!
Outrora suas mãos revelaram seu futuro
E pude perceber, claramente, que as linhas escondiam grandes segredos
Eu quis desvendá-los, e nem precisei me esforçar.
Cambaleava passos dispersos dos caminhos que tracei
Mesmo assim invadia apenas os lugares onde queria chegar
Fui assombrada por meus próprios sonhos, que nem eram meus de fato
E quis vivê-los, contrariada pelo próprio medo.
Eu busquei o meu destino!

;*

quarta-feira, 17 de junho de 2009

lembra?!

Olha Pequena e doce criança
Minha Fortuna de paz num único sorriso
A de gestos tão simples, de completa necessidade
E que emana pureza em teus olhos
Tão puros quanto o mais singelo dos pássaros
Ultraje àos princípios grotescos
Espelhos de amor sem fim.
Arrisco versos e canções, enfim
Só pra ver a alegria em ti
Só pra reforçar minhas certezas
Inundar esse peito que hoje vibra de desejo
Realizar e querer sempre mais
Ah, doce criança...
Lembra-te de como eramos felizes...


\o/

terça-feira, 16 de junho de 2009

calmaria

Era uma noite comum
Que de comum não tinha nem aparência.
Que não demonstrava coerência
Me tirava a paciência, mas me acalmava, enfim
Tomava conta de mim e trazia de novo a impressão de normal.
De repente a chuva
Um céu negro, mas tão calmo
Um segredo e um afago... Das culpas e medos, dos tolos e fracos.
Desilusão?! Condição e intempestividade.
Mas que grande mentira... O oportuno foi criado por nós, naquele momento.
E que grande avaria desses medos banais. Que já são tão normais...
E que já nem cabem em mim.
E não preciso negar... Isso sim é miragem, isso é mesmo vontade, é desejo e apenas será desejo enquanto eu não quiser realizar.
Enquanto pra mim, bom estiver... E pra você, e pra nós.


\o/

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Para os apaixonados.. *-----*

Segue dos teus passos inseguros
Mãos trêmulas e pernas bambas
Do ciúme incontrolável
Da perca de medos
Dos dias tão frios, e noites vazias
E bocas distantes, caladas e frias
Da procura incansável
Da rotina dos meus dias
Do carinho necessário
Da distância e da saudade
Da busca de felicidade
E o vazio que me preenche
Quando lembro... Quando me perco nos versos
Quando me faltam palavras
E me pego de novo pensando
E te perco mais uma vez em minha cabeça tão confusa
Procuro saídas pros caminhos que invadí, sem predir licença
Sem pensar no futuro, sem querer voltar...
Desmancho promessas, repito palavras
Desmarco compromissos, e remarco os que não quis cumprir.
E finjo estar bem. Mas é tudo real!
Completo refrãos de variadas canções
E me encontro na multidão de centenas de idiotas fanáticos, enfim
Daqueles que ninguém chega perto por medo... Ou não.
E de que é feito o amor? Não te importa, ? Eu sei
Eu neguei esse sentimento, mas ele tá sempre comigo.
Tentei fugir, mas, incontrolavelmente, eu AMO!
E não, necessariamente, aquele estereótipo planejado.
Ele apenas se impõe e nos toma de tal maneira que já não nos cabe negar...
Volto aos meus passos, nos caminhos mais incertos, e os maaais queridos por mim.
Vou buscá-los até o fim. Vou querer você pra mim!


;)

quarta-feira, 10 de junho de 2009

RelógiO! o.O'

Tic-tac... Tic-tac!!! O tempo se arrasta...
Mas ele voa! Ele não para, não perdoa, não espera...
Nem se arrisca a me mostrar uma ponta de futuro.
E aquele ponteiro vermelho, dá voltas no mesmo lugar
Mas marca diferentes momentos, novos segundos, outros minutos, horas... Dias... E se vai, sempre ali, no mesmo lugar!
E eu não posso entender como seguimos com tanta crença o 'objeto redondo' na parede.
E o respeitamos com tamanha devoção, e já não vivemos sem ele! Isso é loucura!
Ele dita regras!!! Nos impôe circunstâncias... Nos faz correr, largar tudo...
E, incoscientemente, mais uma vez, seguir sua 'vontade'. Sua lei!
Mas que grande palhaçada! Tamanha displicência a de quem se sujeita a aceitar tudo isso.
E tamanha mancada de que não o segue... Todos o seguem!!! oO'
E por horas e horas incansáveis, ele segue ali.. Imponente e necessário.

=P

terça-feira, 9 de junho de 2009

Penso..

Começos são sempre difíceis
Me perco em tanto pensamento
Saio da linha da razão e fujo dos caminhos coerentes da escrita perfeita.
A mente se perde, tão rapidamente, em meio a tanto conflito interior
Que já não busco a verdade, mas sim as escolhas.
E já não penso no ontem, nem planejo o amanhã... E tenho vivido o 'hoje' com tamanha intensidade, que às vezes me corrijo em vultos de 'sanidade', tentando diminuir o ritmo do tempo...
Tentando corrigir também as inquietudes da alma...
E controlar um tremor de medo, que não se restringe apenas a isso.. ;)


;P

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Insight

Um ''insight'' abstracto de loucura
Um misto de querer e de procura
Um assalto dos sentimentos alheios
Os que se tornaram tão meus
Os que busquei mais e mais
Que transformei em necessidade, em sanidade!
E que admiti pra mim mesma como 'condição'.
E que hoje faz parte da minha razão...
O misto de toda e qualquer situação, que não me cabe explicar, enfim.
Que não é certo pra você, como é pra mim, e nem poderia.. ;)
E que não irá satisfazer suas vontades se elas não condizem com seus princípios.

=D

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Como tatuagem...

Olha que situação! O sentimento e a razão
Em total desarmonia, em constante discussão.
Olha bem que desatino, o caminho do destino
Em inexplicável desalinho com o que se julga certo então.
E onde foi parar a razão? E todo aquele 'saber'...
E todo aquele querer, com total noção?
Me restou o 'errado', a adrenalina, a emoção
A mais pura sensação de perigo, tão óbvia, e necessária.
Tão trágica e divertida... Indecisa e decidida...
Que me acompanha a cada dia
Assusta e contagia... E nunca sairá de mim.

=)

quarta-feira, 3 de junho de 2009

qqqqq

Claudia diz: Gyca? vamos construir uma poesia juntas? \o/ comecei, bem tosca \o HASIHSAIUHSA

Gyovanna diz: ~^ Vamos... manda ae! o/

então, você acha que pode se apossar de mim
trazendo-me rosas, segurando minha mão, me olhando assim...
Nada pode ser tão fácil, bem, meu querer mudou demais, teu amor me satisfaz, mas não podes me prender... E não posso te querer, se assim permanecer.

Naquele novo amanhecer, vi teus olhos brilhando, como o sol raiando (?), fazendo o possível para me convencer...
Convencer do que, se já sei bem o que quero... se te tenho por perto, dia sim, dia não;
é o estado mais incerto, de presença, que comove meu coração...
E que emana paixão, transcende toda e qualquer sensação de prazer.
E renova o querer, do qual nunca fugí, o que jamais esquecí e que outra vez perdi
E perdí apenas porque deixei que me escapasse por entre os dedos
Pq guardei grandes segredos e me contive em meus medos...


\o/\o/ Loucas, siim!! HASIUHASHA

;* ManudaH

♫ Mas crimes perfeitos, não deixam suspeitos...

A cura pros meus vícios está na insistência dos temores que ainda me assombram
E a saudade daquilo que não vivi ainda me cerca, me atormenta, sem despertar o interesse.
A não ser o constante pensamento, e a imensa dúvida que ainda me cabe.
E a dormência do querer... E o pensar que me persegue...
E o 'porquê', que não respondo.. E que não me respondes também.
E esse muro de inconstâncias que nos separa tantas vezes...
Mas que o calor derruba rápida e delicadamente -ao mesmo tempo- e isso é incrível!
Isso me mostra que os medos se superam sozinhos...
Que as preocupações somem sem deixar rastro... Sem culpa... Sem suspeitas.
E a noite volta... E a lua chega. O sol se esconde, assim como nós, de nossos medos tão perceptíveis... Tão aceitáveis...

;x

terça-feira, 2 de junho de 2009

Ah, o amor.. ;)

Que rima mais bela pro amor
Que amar sem qualquer pudor
Que querer sem qualquer temor
E esquecer toda dor

Grande misto de sentimentos
De promessas, juramentos
De sentir bater no peito
Um suspiro de lamento
E um ardor de desejo
E a procura do beijo
Uma espera, o ensejo...

É não poder evitar a emoção
Sentir o tremer do corpo, compulsivo de paixão
Amar, incontrolavelmente, no inverno ou no verão
E soar, incansavelmente, rimas em contradição
Entoar, sim e não, com a certeza da razão
De que os passos guiados serão
Pelo bater do coração

=*

Creio

O sonho é pó
E a doutrina mais sagrada se resume em nada
E a garganta deu nó
E a procura foi sufocada
E a distância segue parada, anestesiada pela saudade
E o sustento dos meus dias são as águas derramadas
E as crenças de minha vida, são as mais fantasiásticas
E são as mais iluminadas, porque sei que vão vingar!

=)

Me embala em teus versos, Poesia minha vida. Melodia minh'alma.