quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Sempre igual, tenho medo de dizer.. (8)

Engraçado...
Por algum motivo, pensei que conosco seria diferente.
Eu acreditava, mesmo, no pra sempre.
E eu queria fazer com que, de fato, acontecesse.
Tive medo, por várias e tantas vezes, e mesmo assim eu me entreguei à nós.
E eu sentia que tudo era tão perfeito e suave que duraria a eternidade sem que nos esforçássemos pra isso.
E eu jurei, também em frente às estrelas que levaria tudo isso comigo.
Abri os olhos num certo dia e já não estávamos mais lá. E nem cá e nem em lugar algum.
E eu chorei, e rezei, implorando para que o pesadelo fosse embora e para que você viesse de volta pro meu abraço.
E eu lutei contra mim mesma e contra o mundo que já te aceitou agora, e disse não.
Ouvi um não, ou centernas deles mais tarde com atitudes.
E eu senti ainda mais o seu alívio quando confessou ter estado com outro alguém.
Nossa, como isso me fez bem! (y)
Acreditei que por linhas tortas as coisas estavam tomando seu rumo.
Achei mesmo que estaria bem e tranquila com tudo isso, como disse por todas as vezes.
E eu me desprendi, e me prendi em outras coisas.
Na minha vida, porque não? No meu rumo, no caminho que seguiria traçando se não fosse aquela tarde de verão quando eu disse SIM.
Ou quando te fiz dizer.
E hoje vejo coisas que já estava na minha frente, pintadas de vermelho com bolas amarelas e mesmo assim eu insistia em não enxergar!!
E eu ouço e leio coisas indigestas e tão pesadas que já ouvia e me fingia de surda. E me fazia de cega tantas vezes...
Eu apenas sinto.
Toda essa imaturidade que estava passando, que estava crescendo pra vida, se foi. Desmoronou com a areia da praia, com a água da chuva que levou embora aquela menina.
E que trouxe de volta aquilo que eu nunca quis.
Pra tudo que houve de bom, levo 3 vezes de coisas ruins agora.
A confiança virou nojo.
O carinho, desprezo.
O amor... [?] Não sei quem ele é pra dizer qualquer coisa agora.

Afinal, o que estamos esperando? Quanto tempo ainda nos resta até que tomemos, de fato, um rumo? Falta largar tudo pra viver uma vida sem ...