terça-feira, 30 de julho de 2013

O que é vontade?

"É estar-se preso por vontade"
Não me sai da cabeça esta parte da música...
E diz tanta coisa em tão poucas palavras!
Mas e a vontade é o que, senão, tudo?
Basta que a tenhamos pra "chegar lá"
E se prender, não apenas à uma outra pessoa, mas ao compromisso.
As duas coisas partem do mesmo ponto.
Partem de querer!
E o "estar preso" não é sinônimo de "perder a liberdade"
É como ganhar uma nova liberdade
Pra pegar na mão, pra pegar na bunda
Pra dizer bobagens, pra ouvir besteira
Pra dar risada de qualquer coisa, ou de nada.
É uma prisão tão linda.
Tão digna de se querer.
Pretendo estar cumprindo a prisão perpétua
Sendo assim, pelo "crime" de amar, incondicionalmente!

segunda-feira, 29 de julho de 2013

terça-feira, 23 de julho de 2013

Vento

Congelados
Dedos, cílios, ponta dos cabelos
Tudo em pausa, só não o vento
Passageiro, vento, barulhoso.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Escuridão

Oh meu amor, perdoe-me se te fiz chorar
Perdoe-me por te abandonar naquela noite de frio
Meu bem, eu não quis que tu partistes assim
Não, sem me dar adeus.
Aquele copo de vinho nunca desceu tão amargamente.
E solitária, mais uma vez, deixei que as lágrimas caissem.
Meu amor, eu te peço que voltes, não me deixes aqui.
Te peço que deixes ao menos um pedaço de ti pra me fazer lembrar.
Meu amor, eu não quis te magoar...
Nunca imaginei que teus olhos pudessem derramar tantas lágrimas por mim
Mas eu não pude evitar
Nem sabia como te fazer ficar ao meu lado
Não deu mais pra mim.
Óh meu bem, não me faça correr atrás do que não se pode alcançar.
Teus passos são sempre mais longos que os meus.
Eu não consigo enxergar além daqui
Mas sempre que fecho os olhos, te vejo voltando para os meus braços
É como se ali eu tivesse o poder de te ter aqui.
E é como se realmente estivesse.





segunda-feira, 15 de julho de 2013

Amo²

Hoje irei "plagiar" um poema de Fernando Pessoa, e toda sua sabedoria que querem dizer mais ou menos o mesmo que eu, só que com mais classe, lógico. Huahuaha


“Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?” (Fernando Pessoa)

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Espera

É tanta vontade de escrever que preciso respirar pra não misturar tantas coisas na cabeça.
Os pensamentos vem tão rapidamente e com tanta intensidade que não sei sobre o que vou falar.
Dá vontade de ter músicas novas, mesmo que sem sentido pros outros.
Dá vontade de simplesmente deixar os dedos "agirem" por si só.
Voltam ao passado, voam pro futuro!
Pensamentos, interesses, angústias... Medo.
Tal qual criança, prevejo as coisas, cada uma em seu lugar.
Alimentando um instinto de querer ver tudo tão depressa!
É ansiedade. Pura ansiedade.
Falávamos ontem sobre esperar.
Mas não se pode esperar!
"Quem casa, quer casa"... Mais ou menos assim, certo?
E, neste caso, quem tem casa, deverá casar-se.
Deverá, não como obrigação.
Deverá como curso natural das coisas, da vida, do amor, do tempo...
E falta! Tempo para ir, tempo para ter.
Falta pra taaanto, que só nos resta ESPERAR.
Alimentar a esperança de ver as coisas em seu devido lugar.
Não somente físicas, mas emocionais, principalmente.
Ver o sorriso, sentir o alívio por ter lutado pra ter tudo aquilo, de alguma forma.
Por ter conseguido.
E não se espera parado. Espera-se fazendo aidna mais pra garantir um bom "prato".
Espera-se agindo, buscando, plantando.
Por que mesmo que tardia, a colheita vem.
Vem promessas, vem encrenca de todos os lados.
E deverá vir serenidade pra encarar.
Deverá vir a calma, a paciência e a tolerância.
Deverá vir tudo que cabe na dispensa, no abraço, no quarto de visita.









- Falta de - Tempo

Perdemos a cabeça
O tempo, o medo
Perdemos os dias, nas horas que passam
Perdemos tanto e tanta coisa em tão pouco tempo.
E nos perdemos em meio a tanto trabalho, a tanto "ter o que fazer".
Perdemos momentos preciosos quando damos às costas um ao outro.
Perdemos abraços, carinho e aconhego.
Perdemos o afago que nos faz viver.
E perdemos vontade?
Desejo que não.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Novidade

Novidades que batem à porta
Adentrando mesmo sem convidar
Vem novidade, vem futuro
Vem casa, cachorro, cozinha e contas.
Vem felicidade instantânea!
VEM!!

terça-feira, 9 de julho de 2013

O vento

Lá fora faz frio
O vento vem e vai, barulhando.
Assovia, tal qual canção de pôr medo em qualquer um
E traz sensações de solidão e saudade.
O vento tem o poder de fazer-se grande
Gigante da terra de ninguém, que sopra e sopra, vai e vem.
Tem o ar gélido que não se quer por companhia.
Faz moradia em qualquer lugar.
Traz nostalgia, causa agonia
O vento que vem e vai.
Sopra pra bem longe, vento gelado
Todo esse sentimento guardado.
Sopra pra bem longe, sopra.