quarta-feira, 29 de abril de 2015

Como é engraçado ler coisas antigas...
E como as pessoas mudam de opinião!
Já largamos várias mãos e nos apegamos a muitas outras
Os caminhos são opostos, os destinos já não sei.
Onde foi parar todo aquele desejo de sermos ouvidos?!
Talvez eu ainda seja a única por aqui.
Estou me sentindo meio "Rose no Titanic".
Tudo afundou, tudo quebrou, todos morreram.
Um apito, por favor.
E serei escravo desse não.
Repensar sobre aquilo que sequer lhe veio à mente.
Sobre as dores que nem sente.
Vagarosamente...
Reviver o que nem existe,
Estando alegre ou estando triste
Pra saber de onde e para onde as coisas vão.
Sermão.
Não adianta ser o que não se quer.
Não adianta ter aquilo que não se pode.
Mas o sussurro do desejo, ah.
Almejo.
Lugares pelos quais nunca passei.
Mas meus olhos, esses são guias
Conhecem cada curva e cada esquina.
Termina.
Com a graça, o afeto, o sorriso.
Preciso!

Afinal, o que estamos esperando? Quanto tempo ainda nos resta até que tomemos, de fato, um rumo? Falta largar tudo pra viver uma vida sem ...