quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Volta lá e diz que era mentira
Que não queria ter comprado aquela meia duzia de rosas
Volta e diz que passou
Que foi apenas desejo
Que não pensou e nem quis jogar fora a sua vida
Volta lá e diz pra todo mundo o quanto foi cedo
O apelo, o medo.
Volta lá e diz que não queria ter comprado ingressos pra esse jogo
Que foi tolice tê-la deixado pra trás.
Diga que o tempo passa depressa, por favor, mas faça passar.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Oportunidade,
Tu que me bate à porta nessa hora tão errada
A calada da noite se tornou barulhenta
Estrondosa, assustadora.
Me permitiu retroceder.
Mas eu dei pausa em todos os conceitos de antigamente.
Eu dei sequência à vida que vou levando.
Mas que diabos!
Não me contento em ter tão pouco, em ter nada nesse momento
Mas eu não posso ter tudo o que quero.
E como quero! (suspiro que dói na alma)

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Ei moça,
Tu tens me dito em entrelinhas
O quanto quer o impossível.
Tu tens mostrado, claramente
O desejo mais oculto.
Sinceramente, tu não sabes
De onde vem tanto desejo
Moça, ninguém pode descobrir por você
Onde fica esse abismo de prazer
Que de dentro de ti
Só poderá sair quando realmente ousares ser o que tu nem és.
Ou o que tu queres ser
Ou o que tua alma quer que tu sejas nesse momento.
Moça, tu mal podes imaginar...