terça-feira, 26 de julho de 2011

AAAAAAAAH!

Roubaram o leite do meu café!
Me deixaram trancada na rotina, quase que com cabresto.
Sem voz pro mundo, sem fundo nem fato.
E nem circunstância para toda essa MERDA.
Só quero a liberdade que nunca me pertenceu.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Será que a gente sabe em que rua a gente se meteu?
Será que já é tarde e há espaço entre você e eu?
E há lacuna entre o dia e noite
E a lua e o sol já estão separados de novo.
Eu tô correndo contra as horas
Contra a nostalgia dos dias de ontem
E tô tão desesperada a ponto de sequer me importar
Já foi o tempo, do tempo.
Já foi a angústia da espera e a mera vontade
Que de novo traz saudade
Anseio, ambiguidade.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Eu abri de novo a janela
Dos teus olhos para o mundo
Do meu mundo pequenino
Tão distante dos teus braços
Delirante, eterno laço
Silenciado ao fim do dia.

Enquanto lá fora chovia Eu sentia teu cheiro, Não mais que tua falta, Em meu travesseiro. Sentia teu corpo, Na noite passada, eu ...