terça-feira, 22 de agosto de 2017

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Esses encontros e desencontros da vida.
Quando a cicatriz tá formada,
Alguém mete o dedo na ferida.
Os caminhos se cruzam e se perdem a todo momento.
Sentimento!
E questiono, mais uma vez, o destino.
Sabendo, ainda assim, que as coisas são como são.
A todo instante, as que vêm e as que se vão.
Tamanha loucura essa situação.
Me vejo diante de minha própria decisão.
Coerente, ou não.
Pesadelo, assombração.
O passado e o presente, disputando atenção.
E seguimos adiante, segurados pela mão.
Seguindo a, sempre certa,
Sinfonia que vem do peito
De dentro do coração.
E quando a rima não faz sentido,
Ainda assim, encontro explicação.
Pra esses mesmos desencontros
Que nos fazem encontrar com a razão.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Descobri, com o passar do tempo, que o que é importante pra mim, pode não ser pra outras pessoas.
Mesmo para as pessoas que também considero/ava importantes.
Tomamos tantos caminhos diferentes, temos tantas vontades distintas.
O mundo vai se desenhando e se "abrindo" de forma que já não é possível "carregar" todo mundo pela mesma direção.
Nem a gente consegue se guiar às vezes.
E, inconscientemente, acaba rolando aquele conflito interno de não saber até que ponto estamos indo pelo caminho certo, ou se estamos deixando coisas importantes pra trás.
Em contrapartida, acaba sendo uma boa oportunidade de olhar para dentro, de se conhecer melhor e ver que já não nos encaixamos em "qualquer lugar".
Somos feitos de nossas próprias vontades e podemos seguir isso, sem culpa. Sem ter mais que agradar às pessoas.
Estou buscando, diariamente, esse ponto de equilíbrio entre querer e realizar.
Estou me dando presentes que sempre quis e nunca me dei.
Estou encontrando uma nova Gyovanna dentro de mim que ainda não conhecia. Aliás, conhecia e não havia deixado despertar.
Eu sei que estou indo pelo caminho certo, pois as coisas parecem bem agora.


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Tu és a flor mais bela - e única - do meu jardim.
A qual pretendo alimentar com o meu amor.
Regarei com sentimento, cuidarei com todo o meu ser.
Tu que chegastes, de onde nem sei,
Mas viestes, é o que importa.
Trouxeste luz, trouxeste paz.
Pra minha vida. Pro meu coração.
Permaneça, tal como deve ser.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Branquinha, more em meu peito pra sempre.
Nosso tempo indeterminado, só nosso.
Permaneça ao meu lado.
Quero conhecer o mundo contigo.
Ter nossa casa, de porta amarela.
Ir às praias de Minas Gerais. (risos)
Acordar, em meio à natureza.
Nosso quintal, com balanço.
Grama verde, uma hortinha.
Quedinha de água que acalma.
A brisa, de leve, final do dia.
Toda a vida que planejei dentro de mim
E, te incluo, por inteiro.
Somos o plano de agora.
Sem desfazer o que já tínhamos.
Que seja leve, o riso frouxo, o abraço quente.
Que nunca nos falte amor, cumplicidade e carinho.
Que o nosso caminho seja de afeto.
E, mesmo que algum dia seja difícil,
Que o frio seja maior que o calor de nossos corpos.
Que saibamos olhar pra dentro.
E possamos enxergar, de fora.
Que a gente possa buscar nesse comecinho tudo o que precisamos
Pra completar uma à outra, com doçura.
Com prazer.
Vamos em frente, vamos?

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Ouça!
O bater desse coração nunca falha.
Acelera, quase para.
Veja!
O sorriso não esconde.
Desabrocha, como flor de primavera.
Sinta!
Cada toque, cada beijo.
Meu desejo, incessante.
More!
Viva ao meu lado, fique um pouco mais.
Tome assento, tome "posse" do que sempre lhe pertenceu.
Cuide bem de mim, cuidemos de nós, cuidarei de você. ♥

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

E o mundo, outra vez, sorriu pra mim.
Me apresentou uma nova oportunidade.
Trouxe-me um belo motivo pra sorrir à toa.
Pra amar, de graça,
Dar e receber amor,
Foi um trato que fizemos.
E que se cumpra.
Que se mantenha com leveza e graça.
A regra é: Não desistir.
Talvez, a única.
Façamos por onde.
Sejamos de nós, pra nós, por nós.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Quem sabe sobre ter razão?
Sobre o coração bater mais rápido...
E sobre a decisão de mudar, de sair, de buscar novidade.
Insanidade!
Eu estou caminhando só, de mãos dadas comigo mesma.
E estou sempre acompanhada dessa paixão fervorosa.
Seja por algo ou alguém.
Porque, sim, me convém!
Porque move meus passos.
E é o caminho que acho para desprender de mim todo esse sentimento.
Caos que crio, sem querer, na vida e cabeça de outras pessoas.
Não é maldade, nem vaidade.
Vontade, mais forte que eu, de dizer tanta coisa.
Que cabe num poema, talvez por exceder o peito.
Só um jeito de dizer que há possibilidade de amar outra vez.
Todos os dias, de todas as formas.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Deveria dormir e acordar sorrindo.
Mas estou preocupada.
Com o meu sentimento, com o seu, com o nosso.
Curvas que se desenham, fora de controle.
Que se moldam todos os dias,
Nos levando por novos caminhos,
E, às vezes, chegam assim mesmo,
Sem avisar, invadindo a casa, a cabeça, o ser como um todo.
E levam a gente pra um outro nível.
Elevam.
E será mesmo isso?

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Uma menina

Estamos prestes a encontrar o amor de nossas vidas.
Numa esquina, numa escola, no farol da poesia.
Estamos caminhando ao encontro desse momento.
Acalento cada lágrima do prato que me acometeu
E que me libertou, por fim!
Hoje entrego a esse mesmo pranto, o meu encanto.
Minhas canções afetuosas, apaixonadas.
Por uma a cada etapa.
Mas nenhuma tão esperada
Quanto a que vem sorrateira
De olhar doce, boca bonita.
A preferida da lista de uma só.
É um querer estalado
Mantém meu peito acelerado
Os olhos abertos a noite inteira.
E o peito, bem como a alma.
Pra te receber como aquele abraço
Que já me esperava há tanto e tanto tempo.
Que veio como uma luva
Abraçando, literalmente, todas as minhas buscas.
Eu jurei seguir sozinha,
Mas minha solidão aceitaria
Sua doce companhia.

Teus olhos são balas perdidas Que sempre encontram os meus.