segunda-feira, 3 de julho de 2017

Sou.

Eu sou gota
Poeira, quase invisível.
Sou um pedaço do que nem há.
Um pequeno fragmento de meteoro.
Pó de estrela cadente.
Sou desespero.
Gritos de dor e medo,
Sou chuva e brisa, incessante.
Sou vapor e gelo.
Nada e tudo
Sede e fome.
Eu sou cor, arco íris.
E sou escala de cinza.
Sou paixão,
Ardência!
Malícia e inocência.
Eu sou um vulcão dormindo.
Que entra em erupção todo dia.
Sou uma criança mimada
Madura tal qual anciã.
Sou afeto, sou abraço
Desequilíbrio, equilibrado.
Sou silêncio, sou música.
Sou fé e liberdade.
Sou verdade e mentira
Desejo e indiferença.
Eu sou crença e ateísmo.
Sou um abismo e caio
No meu próprio labirinto
Me perco.
E me acho, tal qual poeira que sou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Me embala em teus versos, Poesia minha vida. Melodia minh'alma.